Discussão sobre IML de Arapiraca vereador diz que deputado só se preocupa com eletrodomésticos

Por em 7 de Abril de 2018

Sessão da Câmara Municipal foi marcada por uma ampla discussão dos vereadores sobre ampliação ou construção de um novo IML

A última sessão da Câmara Municipal de Arapiraca foi marcada por uma ampla discussão dos 17 vereadores sobre a construção de um novo IML ou reforma do já existente na Avenida Governador Afrânio Lages ao lado da Casa de Custódia. O vereador Fábio Henrique (PCdoB) e o vereador Léo Saturnino (MDB) são os autores da indicação que reivindica a construção de um novo IML em terreno anexo ao órgão já pertencente ao Estado.

O vereador explica que esteve no órgão conversou com o diretor Silvio Nunes e verificou que o IML está bem cuidado, organizado necessitando com urgência uma equipe para atender a grande demanda da metade do Estado. Explicou que o órgão está apenas com quatro funcionários e precisa de 14. Tenho certeza que o governador Renan Filho e o vice-governador Luciano Barbosa vão solucionar o problema.

A discussão sobre a matéria teve duração de mais de 30 minutos e foi questionada uma participação mais efetiva de cobrança ao governador dos deputados que integram a bancada de Arapiraca na Casa de Tavares Bastos. Arapiraca conta com três deputados estaduais. Em um aparte o vereador Jairo Barros afirmou, três não, quatro, o citou Rodrigo Cunha e completou esse deputado só se preocupa com eletrodomésticos, geladeira, televisão e máquina de lavar roupa, detonou Jairo Barros (PRP) sobre a atuação parlamentar de Rodrigo Cunha.

Matéria parece incomodar aos vereadores situacionistas

A matéria muito oportuna de Léo Saturnino e Fábio Henrique parecem incomodar aos demais vereadores pelo destaque que vêm alcançando no cenário político alagoano, colocou o Legislativo arapiraquense numa discussão, no mínimo salutar para o momento em ano eleitoral.

Os vereadores que estão o primeiro mandato e demostram preocupação com os graves problemas de Arapiraca, solicitaram ao governador do Estado, Renan Filho (MDB), e ao Coronel Lima Júnior, a construção de um novo IML (Instituto Médico Legal) para Arapiraca. O argumento para o pedido é a falta de estrutura do prédio onde atualmente funciona àquela unidade que atende 53 cidades do Agreste, Sertão e Baixo São Francisco.

O IML tem a função de fornecer bases técnicas em Medicina Legal para o julgamento de causas criminais. A necropsia, também chamada de autópsia (exame do indivíduo após a morte) é a mais conhecida de suas funções. A maior parte do atendimento (70%) é dada a indivíduos vivos, pessoas que foram vítimas de acidentes de trânsito, agressões, acidentes de trabalho, entre outros.

Quem já teve a oportunidade de visitar as instalações do órgão em Arapiraca, pôde constatar que há carências estruturais que volta e meia são destaque na mídia como lugar desumano e insalubre. Essa é a leitura de centenas de famílias que já passaram pelo IML de Arapiraca.

Alguns vereadores, usando a tribuna para opinar sobre a Indicação de Fábio e Léo, discordaram da necessidade de um novo prédio. Segundo eles, seria “dispendioso” e “desnecessário”, uma vez que apenas uma reforma acabaria com os problemas atuais. E, assim, gastaram todo o expediente da sessão com réplicas e tréplicas que poderiam ter se construído em argumentos sólidos, para unificar o desejo de milhares de eleitores que precisam e merecem uma cidade melhor e mais humanizada.

Para a presidente da Mesa Diretora, Graça Lisboa (PDT) a pauta da sessão foi significativa e participativa na discussão sobre o IML de Arapiraca e a implantação do Instituto de Criminalística (IC) que se arrasta desde o Governo Teotônio Vilela Filho (PSDB). Para  instalação do órgão em Arapiraca até um imóvel foi alugado e colocada a placa de identificação e até o momento, tudo na estaca zero.

Governo anuncia reforma do IML de Arapiraca

Em entrevista em vídeo do jornalista Fernando Valões na abertura do Governo Presente em Arapiraca, o governador Renan Filho demostrando irritação com a colocação dos vereadores arapiraquenses de que a obra do IML não tem desperta interesse do governo pelo fato de que mortos não emitem opinião nem votam, o governador afirmou que no IML não só recebe mortos e sim um grande número de pessoas que passam por exames de corpo de delito, exames de conjunção carnal e vítimas da violência.

Os vereadores estão equivocados disse demostrando irritação o governador. “após concluir o IML de Maceió, que será o melhor do Brasil, vou iniciar a reforma do IML de de Arapiraca. Em Alagoas parece que tudo está por fazer, completou o governador Renan Filho.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *