Fábio Henrique denuncia no Legislativo abandono das Arapiraquinhas

Por em 22 de Março de 2018

Para o vereador, é lamentável o descaso da atual gestão com o patrimônio público e a cultura

Com o objetivo de estimular e incentivar a leitura entre as crianças e jovens, a Prefeitura de Arapiraca, por meio da Secretaria Municipal de Educação, implantou, no ano de 2010, na gestão do ex-prefeito, Luciano Barbosa (MDB) o projeto das bibliotecas públicas digitais de bairros, carinhosamente denominadas de “Arapiraquinhas”. Inicialmente o projeto foi implantado no bairro Jardim Esperança e pela sua importância para a educação foi implantado em outros bairros da periferia de Arapiraca.

Na atual gestão do prefeito Rogério Teófilo (PSDB) o projeto foi abandonado e as unidades sucateadas, alvo de vandalismo e da depreciação pelo tempo. O grave problema foi tema de um pronunciamento na última sessão ordinária da Câmara Municipal pelo vereador Fábio Henrique (PCdoB). Para o vereador, o abandono e descaso da administração municipal com o patrimônio público é um desrespeito ao povo de Arapiraca e um retrocesso no incentivo à leitura e o aprendizado das crianças.
Em companhia do vereador Léo Saturnino (MDB) Fábio Henrique percorram várias unidades das arapiraquinhas e constataram o verdadeiro abandono e até pela falta de funcionários, onde em cinco unidades sem funcionamento, onde o principal objetivo é oferecer um local de leitura e pesquisa para os estudantes, porém, isso não vem acontecendo infelizmente, lamentou.
Como vem fazendo diariamente, o parlamentar tem visitado  os postos de Saúde e Unidades Básicas constatando  o mais completo descaso com a população, onde um simples medicamento não existe nas farmácias desses postos de saúde.

Instituto Médico Legal

Fábio Henrique, em seu pronunciamento cobrou do governador Renan Filho (MDB) uma melhor atenção para o Instituto Médico Legal (IML) de Arapiraca que segundo ele, está com  escassez de funcionários, onde é necessária a contratação de 14 servidores técnicos para a realização de autópsias, principalmente por atender a 52 municípios do Agreste, Serão e Baixo São Francisco.
Ele cobrou também a reativação do Conselho Municipal da Juventude, para que os jovens  não fiquem fora das discussões dos projetos do governo municipal e participem dos debates políticos, da educação e outros assuntos importantes, mesmo porque, de acordo com o vereador, o jovem é o futuro da Nação e deve ser inserido em todo esse processo. Concluiu seu pronunciamento, afirmando, que pretende realizar uma Audiência Pública, com a presença do Secretário Nacional da Juventude, para debater as questões relacionadas a classe.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *