PC intensifica caça aos suspeitos de ataques com agulhas em Arapiraca

Por em 22 de Fevereiro de 2018

Delegado Thiago Prado descarta contaminações às vítimas, mas afirma que suspeitos podem ser responsabilizados criminalmente

O delegado regional de Arapiraca, Thiago Prado, informou, na manhã desta quinta-feira (22), que um inquérito foi instaurado com o objetivo de apurar ataques com agulhas no município e capturar os suspeitos. O caso ganhou repercussão na imprensa, nesta semana, quando o Hospital de Emergência do Agreste (HEA) Doutor Daniel Houly recebeu vítimas dos ataques.

O delegado comentou que nenhuma vítima, entretanto, procurou a polícia para confeccionar o Boletim de Ocorrência (BO). Mesmo assim, uma equipe da delegacia se deslocou até o hospital, onde verificou os atendimentos e pediu mais detalhes à equipe plantonista.

“Na verdade, tomei conhecimento pela mídia e fomos averiguar o caso no hospital. A partir daí independente de denúncia na delegacia, instauramos o inquérito para que o fato se esclareça e possamos encontrar os suspeitos”, explicou o delegado.

Questionado sobre a possibilidade de as vítimas terem sido contaminadas, o delegado descartou essa hipótese, afirmando que a população não precisa ficar apavorada, porque “não se trata de terroristas que querem contaminar as pessoas”.

“O fato também não se mostra como assalto, porém, são pessoas que estão atacando outras com agulhas e que podem ser responsabilizadas penalmente. Portanto, estamos investigando”, ressaltou Prado.

Após a confirmação, na segunda-feira (19), do atendimento a uma criança de 10 anos vítima de ataque e ferida no braço com agulha de seringa, na cidade de Arapiraca, e em razão de boatos de outros supostos ataques a moradores locais, o Hospital de Emergência mobilizou todas as equipes médicas e de enfermagem para um levantamento detalhado sobre atendimento e assistência a pacientes que tenham sido vítimas de outras ações semelhantes com o mesmo instrumento.

De acordo com a assessoria da unidade hospitalar, depois de analisar todos os relatórios médicos, nessa quarta, o HE do Agreste constatou outro caso semelhante, registrado no dia 31 de janeiro deste ano, e que teve como vítima uma jovem residente no Conjunto Residencial Brisa do Lago, também em Arapiraca.

Com Gazetaweb.