Comissão é formada para cassar prefeito de Campo Grande

Por em 23 de Dezembro de 2017

Comissão será formada por três vereadores incluindo o presidente da Casa em janeiro

Uma comissão está sendo formada na Câmara Municipal de Campo Grande, no Agreste do Estado para iniciar o processo de cassação do prefeito Arnaldo Higino Lessa (PP) .A comissão será presidida pelo presidente da Mesa Diretora da Casa, vereador Anderson Vera Cruz (SD) O prefeito continua preso no presídio Baldomero Cavalcante, após ser flagrado pelo Ministério Público Estadual (MPE)recebendo em sua residência mais de R$ 11 mil em propina. O Legislativo de Campo Grande é formada por nove vereadores, mas são necessários apenas três para formar a Comissão Processante.

Comissão é formada 02

De acordo com o presidente da Câmara o rito o  de trabalho da Comissão cumprirá o que determina o Regimento Interno da Casa, além do dialogo com o Ministério Público do Trabalho. “Tudo será feito de forma como tem que ser, com direito no contraditório e buscando dialogar com o MPE, porque ele é o autor da ação que colocou na cadeia o prefeito”, assegura o presidente do Legislativo. O vice-prefeito da cidade, – atualmente exercendo a titularidade, é Igor Higino (PRB) filho de Arnaldo Higino.

Rateio do Fundeb

O governador Renan Filho já autorizou a Secretaria de Educação a fazer o pagamento do rateio (divisão das sobras da aplicação de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB com os servidores em efetivo exercício no magistério da educação básica). O processo, no entanto, ainda depende de lei específica. O projeto de lei foi encaminhado para a Assembleia Legislativa de Alagoas nessa quarta-feira, 20 e deve ser votado ainda esta semana, antes do recesso de final de ano no Legislativo.

Prefeita se diz perseguida por Renan Filho

A prefeita de Lagoa da Canoa (Tainá Veiga (PP) cidade conhecida nacionalmente como terra do gênio da mássica Hermeto Pascoal, acusa o governador Renan Filho (PMDB) de prejudicar a população do município. De acordo com a prefeita em entrevista concedida ao Jornal de Arapiraca, o governador não permitiu que o Instituto do Meio Ambiente (IMA)concedesse a licença ambiental para a obra de pavimentação asfáltica da estrada que liga o centro da cidade ao povoado Mata Limpa em um percurso de 6,7 quilômetros.

Prefeita se diz perseguida 02

Para a gestora “é uma perseguição política, mostrando-se indignada com a atitude do governador Renan Filho, sobretudo com a população de Lagoa da Canoa. Os recursos da ordem de R$ 4,13 milhões foram liberados com o apoio do senador Benedito de Lira (PP) e pelo deputado federal Arthur Lira (PP) através do Ministério da Integração Nacional. A obra que seria realizada pela Codevasf, deveria ser iniciada em novembro com previsão de conclusão para o mês de maio de 2018, relatou a prefeita.

Prefeita se diz perseguida 03

Em nota, a chefia de assessoria de comunicação da Codevsf, assinada por Ederaldo Beline Silva, assegura que a referida obra foi paralisada em função de uma ação popular, tendo como argumento a falta de licenciamento ambiental, o pedido de liminar foi aceito pelo juízo. A Codevasf por meio da sua Assessoria Jurídica, contestou através de embargos declaratórios, pedindo a nulidade da liminar. O juízo marcou para o dia 25/01/2018, uma audiência de conciliação entre os autores IMA, Codevasf e Procuradoria do município de Lagoa da Canoa, objetivando a resolução da questão.

Moisés Machado requer copias de balancetes

O vereador por Arapiraca Moisés Machado (PDT) teve requerimento aprovado na última sessão ordinária da Câmara Municipal em que solicita do prefeito Rogério Teófilo (PSDB) junto à secretaria municipal da Fazenda, que envie a Câmara Municipal cópias dos balancetes devidamente acompanhadas com os relatórios da Gestão Fiscal. De acordo com o vereador, o último relatório encaminhado a Casa, foi referente ao mês de junho e incompleto, reclamou da tribuna da Casa

Grosseria

Um vereador de uma importante cidade do Agreste do Estado foi no mínimo grosseiro e faltou com o respeito a um profissional de imprensa durante seu pronunciamento da tribuna da Casa em uma sessão ordinária. No momento em que o profissional se postou em sua frente para fotografa-lo, no microfone o vereador ordenou – saia da minha frente. Constrangido, o profissional justificou, quero apenas tirar a foto e o vereador respondeu – depois você tira. Por uma questão de ética não mencionarei os nomes dos dois envolvidos nesse triste episódio. .

Situação de Luciano Barbosa ainda indefinida em 2018

A situação política do vice-governador e secretário de Estado da Educação Luciano Barbosa (PMDB) ainda é indefinida nas eleições de 2018. O vice-governador não conta mais com o apoio político da ex-prefeita Célia Rocha, ambos não comungam mais vinculo pessoal e político.

Situação de Luciano Barbosa 02

Mas o vice-governador tem muito folego, experiência e oxigênio financeiro. Barbosa tem opções de disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa de Alagoas ou a Câmara dos Deputados. Seu cargo de vice-governador deverá ser negociado no projeto de reeleição do governador Renan Filho no objetivo de formar uma aliança mais robusta.. Quanto a pré-candidatura de Célia Rocha a ALE, será missão difícil além de ter que enfrentar aliados a exemplo do deputado estadual Ricardo Nezinho (PMDB).

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *