Arapiraca poderá sofrer nova paralisação na educação

Por em 14 de Dezembro de 2017

 Presidente do Sinteal no município, disse que cabe ao Prefeito Rogério Teófilo e aos técnicos arrumarem meios para evitar mais uma greve

Professores e demais servidores da educação do município de Arapiraca podem deflagrar nos próximos dias uma paralisação de 24 horas. A decisão pode ser tomada na próxima terça-feira (19), caso os representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (Sinteal) não sejam recebidos pelo prefeito Rogério Teófilo (PSDB).

Segundo André Luiz, presidente do Sinteal em Arapiraca, na última terça-feira (13) ocorreu uma assembleia com a categoria. Apesar da solicitação, ninguém teria sido atendido pelo gestor municipal, o que teria motivado a insatisfação do grupo, que cogitou a possibilidade da realização de um ato público no Centro Administrativo seguido da paralisação com possibilidade de mais uma greve.

Em entrevista ao programa Show de Notícias, da rádio 96 FM, André Luiz disse que a categoria precisa de uma resposta de Teófilo sobre a pauta que foi colocada no período em que a Educação esteve em greve durante 93 dias.

“Precisamos saber do prefeito Rogério Teófilo sobre o retorno dos 5% do salário de 2017 que discutimos durante o período de greve e até o momento ele não se pronunciou. Esta discussão estava prevista para o mês de novembro, enviamos ofício ao prefeito solicitando a audiência e até o momento não tivemos este encontro, então os trabalhadores decidiram que esperam até segunda-feira. Caso ele [Teófilo] não atenda a categoria, na terça-feira iremos paralisar as atividades por 24 horas”, afirmou.

O sindicalista disse ainda que o movimento deve acontecer no Centro Administrativo para provocar o encontro com o prefeito. Em relação a mais uma possibilidade de greve da rede municipal de educação, André Luiz expôs que os servidores não pretendem parar as atividades, no entanto, não depende só deles.

“Nós não pretendemos fazer isso, mas cabe ao gestor e aos técnicos que arrumem meios para que nós não tenhamos mais uma greve da educação aqui em Arapiraca porque não é bom para os trabalhadores, para a prefeitura e muito menos para os filhos dos trabalhadores que estudam na rede municipal”, provocou.

“Não seria interessante hoje abrirmos uma nova greve aqui, mesmo sabendo que a última que nós fizemos saímos vitoriosos porque o Tribunal de Justiça declarou que a greve era legal. Já tivemos um prejuízo grande e tenho certeza que a prefeitura não vai querer deixar 30 mil alunos prejudicados”, emendou o sindicalista.

Devido à última greve que durou 93 dias, o calendário escolar da rede municipal de educação ficou prejudicado. Conforme o Sinteal, algumas escolas só vão poder concluir o ano letivo de 2017 em fevereiro ou abril de 2018.

Sobre o assunto, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Arapiraca informou que o prefeito Rogério Teófilo iria manter contato ainda nesta quinta-feira (14) com o presidente do Sinteal para viabilizar o encontro para a próxima segunda-feira (18).

Redação com Diário Arapiraca.  

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *