LAGO DA PERUCABA: Obra avaliada em R$ 20 mi está abandonada e servindo de pasto

Por em 1 de Setembro de 2017

Inaugurada a primeira etapa em 20 de março de 2009, pelo então prefeito de Arapiraca, Luciano Barbosa (PMDB), o Lago da Perucaba se constituiu, na época, na mais nova área de convívio urbano da terra de Manoel André, se tornando um marco referencial não apenas para a cidade, mas para toda a região do Agreste. O maior volume dos recursos foi disponibilizado por meio de emendas apresentadas pelo senador Renan Calheiros (PMDB), que definiu o empreendimento “como uma obra transformadora, de urbanismo e de humanização de Arapiraca”.

O equipamento foi dotado de calçadão, parque infantil, quadras poliesportivas, ciclovias, áreas com jardins, restaurante, barracas padronizadas, estacionamento, área para musculação e ginástica. O Lago da Perucaba também previa, em seu projeto inicial, a construção de um moderno píer com fonte luminosa. Inicialmente, foram investidos cerca de R$ 9 milhões na primeira etapa da obra, que recebeu um eixo viário com um quilômetro de extensão, incluindo a pavimentação asfáltica da praça central e do calçadão.

As obras do Lago da Perucaba foram viabilizadas através dos R$ 20 milhões assegurados pelo senador Renan Calheiros, por meio do Ministério das Cidades. Na época, o senador enalteceu a gestão do prefeito Luciano Barbosa, como sendo um grande modelo para todo o Estado de Alagoas, garantindo que, apesar da crise financeira mundial, os recursos estão para as obras de esgotamento sanitário e para a defesa dos mananciais das bacias do riacho Piauí e Perucaba já estavam assegurados.

Imagem do descaso

Decorridos nove anos da inauguração, a imagem atual do espaço que representava o cartão postal da terra de Manoel André virou um cenário do descaso e de abandono. E o mais grave: retrata o desperdício do dinheiro público.

Desde os quatro anos da gestão da então prefeita Célia Rocha (PSL) e do atual prefeito Rogério Teófilo (PSDB) – em sete meses de gestão – o espaço nobre de Arapiraca está relegado ao desprezo. As quadras poliesportivas estão destruídas pela falta de manutenção e a ação do tempo mostra a destruição causada pela ferrugem e total ausência de cuidado.

As redes de proteção metálica também estão enferrujadas. Em vários locais das quadras, a fiação elétrica está exposta, se tornando um grave perigo para as pessoas que ainda se arriscam a frequentar o espaço público. Alguns refletores pernanecem com luminárias acesas 24 horas. Gastando o dinheiro do município e Iluminando um enorme vazio.

Sem movimento

Quatro bares que tiveram seus tempos áureos para o lazer logo após a inauguração, foram fechados em razão do afastamento do público, falta de segurança por parte dos órgãos ligados à Segurança Pública e à ausência e atuação permanente de integrantes de uma Guarda Municipal que jamais foi implantada em Arapiraca.

O Botequim Na Baixa, que funcionava com um público seleto e música ao vivo, e que registrava um movimento intenso nos finais de semana foi o primeiro a ser fechado oficialmente. O estabelecimento foi incendiado em um ato de vandalismo, após a morte da proprietária, Tapiocaria Gonzagão e Mil Graus Pizza, esta última com as instalações ainda em bom estado de conservação. Esses pontos eram locais tradicionais de lazer, encontros, diversão e difusão da cultura e ainda ofereciam espaço para a apresentação de artistas da terra.

Os equipamentos para musculação e de diversão para as crianças estão tomados pela ferrugem e destruídos pela ação do tempo de vido á falta de manutenção e conservação.

O Lago da Perucaba já foi destaque no Estado com a realização de grandes shows programados e organizados pelo Viva Arapiraca. Se apresentaram no local atrações como Jota Quest – que, na época, recebeu um público estimado em 60 mil pessoas – Nando Reis Skank, CPM 22, Detonautas Rock Clube e Capital Inicial.

O espaço nobre, amplo e arborizado, oferecia espaço, lazer, organização, segurança e garantia o sucesso dos shows de bandas conhecidas e de renome nacional. A promoção desses eventos de grande porte aquecia e movimentava a economia local. Mesmo abandonado, o local ainda é palco para a contemplação do mais lindo e deslumbrante por do sol de Arapiraca, que pode ser apreciado de vários pontos do Lago.  Em seu entorno, existe uma extensão de um quilômetro de via pavimentada, ainda em razoáveis condições de trafego.

Em 2013, projeto previa a construção de um Centro de Convenções 

Aos poucos, o Lago da Perucaba foi abandonado pelo poder público. O local, antes de palco de eventos culturais e musicais, “abriga” apenas usuários de drogas e casais de namorados mais afoitos.

Porém, em setembro de 2013, o então presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros, já cumpria um dos compromissos assumidos junto ao município, anunciando a retomada de diversas obras iniciadas na gestão de Luciano Barbosa e executadas por meio de emendas apresentadas pelo senador.

Uma audiência com o então ministro Gastão Vieira, do Turismo, em Brasília, resultou na garantia da liberação de recursos federais no valor de R$ 10 milhões para a construção do Centro de Convenções de Arapiraca. Naquela ocasião, o ministro disse que os trabalhos realizados pela administração municipal foram primordiais para que a cidade fosse contemplada com recursos. O projeto do Centro de Convenções foi elaborado durante a gestão do ex-prefeito Luciano Barbosa.

Com o Centro de Convenções, será possível fazer com que Arapiraca sedie grandes eventos, uma vez que contará com um amplo auditório com capacidade para 600 pessoas sentadas e espaços para realização de grandes eventos regionais e nacionais. Localizado no Lago da Perucaba, beneficiará municípios das regiões Agreste, Sertão e Baixo São Francisco.

Projetos que nunca saíram do papel

Na gestão da ex-prefeita Célia Rocha, o então secretário municipal de Obras e Viação, Valdeir Galindo, anunciou que o lago receberá em breve a segunda etapa de urbanização, que será incorporada com a construção do Centro de Convenções, além de um hospital e uma faculdade todos esses projetos ainda não saíram do papel

O projeto, que contemplaria a limpeza e despoluição do lago e urbanização nos mesmos padrões da primeira etapa, estava orçado em R$ 1 milhão, lazer, cultura e esportes, incluindo também a construção de uma mini Vila Olímpica, está orçado em R$ 32 milhões e, até agora, não saiu do papel.

Teófilo garante investimentos de mais de R$ 10 mi na recuperação do espaço

O prefeito de Arapiraca, Rogério Teófilo (PSDB), reconhece a necessidade de revitalizar o Lado da Perucaba, tanto que já ordenou a realização de uma licitação, que inclusive se encontra em andamento junto à Caixa Econômica Federal.

“São R$ 10 milhões e 300 mil que se encontram na Caixa para licitação, justamente para desenvolvermos um projeto, já elaborado, para devolvermos aquele local totalmente em condições para a população e visitantes”, assegurou o prefeito, adiantando que esses recursos estão sendo viabilizados através do Ministério das Cidades. Teófilo informou  que todo aquele equipamento público será restaurado e que o início e término das obras dependem exclusivamente dos prazos da licitação.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *