Hospital Regional de Arapiraca sofre com superlotação

Por em 12 de Julho de 2017

Só nos meses de maio e junho aumento de atendimentos foi de 40%

Com as baixas temperaturas e o aumento das chuvas, o Hospital Regional Nossa Senhora do Bom Conselho tem aumentado a demanda no pronto atendimento. Normalmente, o HR atende 10 mil pessoas por mês, vindas de cerca de 50 cidades do Estado. Porém, só nos meses de maio e junho, o número chegou a uma média de 14 mil pessoas, totalizando um aumento de 40%.

Em entrevista à rádio Novo Nordeste, o diretor médico Ulisses Pereira disse que neste momento o ideal seria o aumento da carga horária de algumas unidades de saúde, com mais equipes, garantindo o atendimento aos cidadãos nas proximidades de suas casas e municípios, evitando a migração para o Regional.

“Nesses dois meses estivemos muito acima do nosso limite. É fundamental que os postos de saúde efetuem o primeiro atendimento para que as pessoas só precisem se deslocar para o hospital nos casos mais graves. Com isso, passaríamos a atender melhor a todos”, colocou.

O médico ainda comentou sobre a crise na saúde pública em todo país. “O sistema público de saúde está falido. A fórmula não está dando certo. As pessoas não têm um atendimento legal na cidade onde moram e vão para qualquer lugar, sobrecarregando outras cidades. Por isso é importante que cada prefeitura tivesse seu sistema de qualidade”, explicou.

Ulisses Pereira também falou sobre as dificuldades em Arapiraca e lembrou da construção de uma Unidade de Pronto Atendimento, cuja pedra fundamental foi lançada pelo prefeito Rogério Teófilo.

“Em Arapiraca ainda considero que o Hospital Regional, mesmo com todas as dificuldades, atende a população. São várias cidades que tem a gente como única opção e isso nos sobrecarrega”, desabafou.

“Estamos ansiosos pela UPA, que segundo o prefeito estará pronta em oito meses. Isso vai conseguir desafogar o hospital e poderemos trabalhar com mais calma e tranquilidade”, afirmou.

Redação com assessoria.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *