Redução da vazão do São Francisco pode deixar 10 municípios de Alagoas sem água

Por em 26 de Maio de 2017

Durante reunião realizada essa semana gestores da Casal, da CBA Águas do Agreste e representantes da Marinha marinha discutiram alternativas que possam aumentar o volume da água na estação de captação de Traipu.

A  redução da vazão do Rio São Francisco para 600m³s, que entrou em vigor no dia 18 de maio, pode deixar moradores de 10 municípios de Alagoas sem água. O alerta é da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).

Durante uma reunião realizada essa semana gestores da Casal, da CBA Águas do Agreste – empresa responsável pela captação e tratamento de água na região Agreste – e representantes da Marinha marinha discutiram alternativas que possam aumentar o volume da água na estação de captação de Traipu. O objetivo da medida é evitar um colapso no abastecimento de água encanada para Arapiraca e outras nove cidades da região.

A estação de Traipu entrou em operação em agosto de 2014. Na época, a quantidade de água que passava pelo poço de sucção das bombas chegava a uma altura de cinco metros. Hoje, está em um metro e vinte centímetros. Os técnicos afirmam que a redução é consequência da diminuição da vazão do Rio São Francisco, situação que pode provocar o colapso.

“A situação é complexa. Das cinco bombas que temos instaladas, só estamos conseguindo colocar para trabalhar duas”, diz o diretor-geral da CAB, Guilherme dias.

Uma das consequências da baixa vazão do rio é o aumento da quantidade de matéria orgânica captada junto com a água. As plantas e algas passam por um filtro e são descartadas pelo sistema.

Para não interromper o fornecimento de água, a Casal instalou duas bombas flutuantes provisórias, a poucos metros da estação. Mas, se a vazão do rio for reduzida ainda mais, as bombas se tornarão inoperantes, informaram os técnicos. Por isso, os executivos da companhia estão buscando outras alternativas.

A Casal apresentou algumas sugestões, como a de abrir um canal perto da margem do rio, para facilitar o aumento do volume de captação, ou instalar as bombas flutuantes após uma ilha no leito do Rio São Francisco.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *