James Ribeiro diz que seu pai acusou Ângela Garrote como promotor de Justiça e não como deputado

Por em 17 de Maio de 2017

Indignação, essa foi a palavra mais pronunciada pelo ex-prefeito de Palmeira dos Índios James Ribeiro,  filho do ex-deputado Federal,  Helenildo Ribeiro, ao saber  da absolvição da ex-prefeita de Estrela de Alagoas, Ângela Garrote, acusada de ter sido mandante do assassinato de José Roberto Resende Duarte, e cuja ação teria acontecido após denúncia do ex-deputado em Brasília.

Durante o julgamento, que aconteceu nesta terça-feira, dia 16, a ex-prefeita alegou que o crime teve conotação política. Porém, James Ribeiro fez questão de dizer ao CadaMinuto que a declaração é uma inverdade.  “Reforço que isso não existiu já que meu pai, Helenildo Ribeiro, fez a denúncia à época como promotor de Justiça e não como deputado Federal, o que descarta qualquer interesse de cunho político partidário”, destacou James Ribeiro.

Quanto à decisão da justiça de inocentar a acusada, James Ribeiro destacou que se sente “indignado e infelizmente só nos cabe respeitar. Agora fica a dor da resignação para a viúva de José Roberto e dos filhos órfãos”, desabafou.

O caso

De acordo com o Ministério Público do Estado, o homicídio de José Roberto Resende Duarte teria sido encomendado por Ângela Garrote, na época primeira-dama de Estrela de Alagoas, e teria ocorrido após a vítima ter denunciado na imprensa supostas irregularidades de Ângela e do marido que estava à frente da Prefeitura.

José Roberto foi morto em março de 1999, no povoado Canafístula, zona rural de Palmeira dos Índios. De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público (MP/AL), a vítima foi assassinada a tiros por três homens que se passavam por policiais.

Em nota, emitida a imprensa, a família Ribeiro comenta as declarações feitas pela ex-prefeita  Ângela Garrote.

Leia a nota, na íntegra, abaixo:

O Deputado Helenildo Ribeiro, em saudosa memória, denunciou, da tribuna da Câmara Federal, o crime ocorrido no Distrito de Canafístula de Frei Damião, Município de Palmeira dos Índios, no ano de 1999, em que o Sr. Roberto Duarte teve sua vida ceifada covardemente.

Naquele momento, Helenildo discursou quando ocupava o cargo de Deputado Federal, em defesa do povo alagoano, especialmente da região de Palmeira dos Índios.

Como se sabe, nosso saudoso Helenildo estava Deputado Federal, função pública que honrou por dois mandatos, quando fez a denúncia pública. Mas nesse, e em outros casos, Helenildo agiu como Promotor de Justiça que era, homem da Lei, por ter entendido que a denúncia era cabida, e os fatos que tinha conhecimento o levaram a fazê-la.

Posteriormente, o Ministério Público de Alagoas ofereceu denúncia à Justiça, que tornou a ex-prefeita ré, e o Tribunal do Júri de Maceió, hoje, soberanamente, a absolveu.

Respeitamos a tese da defesa e o resultado do julgamento. Mas em respeito à memória de Helenildo Ribeiro, homem público sério, responsável e honrado, que em todos os cargos e funções que desempenhou em sua vida, o fez com estrita obediência à Lei e aos melhores princípios e valores da sociedade, características difíceis de se encontrar nesse meio. Por isso, vimos a público refutar as afirmações da ex-prefeita, que em sua defesa, atribuiu a questões políticas menores, à denúncia feita à época, pelo deputado e Promotor de Justiça, Helenildo Ribeiro.

As instituições fizeram, cada uma, a sua parte. E Helenildo, como sempre fez, também cumpriu o seu papel, de defender à sociedade. Agora, pedimos que respeitem sua memória e o deixem descansar. 

Depois de cumprir sua jornada neste plano com dignidade, é mais do que justo, pedir que a ele sejam dirigidas apenas orações.

Respeitosamente,

James Ribeiro e família.”

Redação com Cada Minuto.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *