“Colunas de escolas da rede municipal ameaçam desabar” diz presidente do Sinteal

Por em 11 de Maio de 2017

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinteal) núcleo Agreste, André Luiz em entrevista na manhã desta quinta-feira (11) ao programa Pajuçara na Hora, comandado pelo radalista Ailton Avlis, afirmou que a educação municipal em Arapiraca vivencia uma das piores fases da sua história na gestão do prefeito Rogério Teófilo (PSDB). A categoria, após uma assembleia geral,  decidiu pela paralisação por tempo indeterminado em todas as unidades da rede municipal de Educação.

De acordo com o sindicalista, a categoria luta pelo reajuste salarial de 7,64 % data base do mes de abril de 2017. De acordo com o professor e presidente do Núcleo Regional de Arapiraca do Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal),os professores reivindicam 7,64% de reposição do piso nacional de Educação. “Estamos com mais de quatro meses desta nova gestão sem apresentar uma proposta para a categoria. E a reunião que teríamos na tarde da última terça-feira (09) a secretária de Educação Mônica Pessoa não apareceu no Centro Administrativo”, justificou o sindicalista.

No elenco de reivindicações  da categoria, está incluída a merenda escolar que, segundo ele, falta nas escolas municipais, além de pessoal como professores e assistentes de apoio nas unidades de ensino. “Infelizmente nossa realidade é esta. Não era isso que queríamos até porque temos um gestor professor e que deve entender a nossa situação, mas não tivemos resposta até agora”, enfatizou o sindicalista.

Sobre a nota oficial da Prefeitura de Arapiraca de que ocorreu invasão no Centro Administrativo desabafou: “Nós não invadimos, nós ocupamos o Centro Administrativo que é um espaço dos servidores públicos e não haveria problema algum em sermos recebidos pela secretária de Educação Mônica Pessoa”, pontuou.Na entrevista André Luiz denunciou que esclas da rede municipal de ensino estão semnenhuma estrututura, que existe precariedade na distribuição da merenda escolar e que em algumas unidades as colunas ameaçam desabar colocando em riscos os estudantes no hora do recreio.  .

 

 

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *